Sera que Foste um Amigo?



Será que foste mesmo um amigo?

Hoje quando me volto no tempo constato que apenas foi um puro interesse,
Uma pura ilusão solitária
Uma utopia de amizade.

Parece para quem não viveu a história
Pensar que estou aqui falando a toa,
Parece que me queixo sem razão e sem contar a história

Não sei se concordaram comigo se eu contar,
Ou também vão simplesmente me julgar
Não sei, mais sou vou saber se contar.

Foi assim

Uma vês quando vivia só, conheci um amigo na escola onde ultimava o ensino médio, foi alguém que pela simpatez ofereci-lhe logo minha mão de amizade, ambos vivíamos em casas de renda.

Tudo começou num belo dia quando simplesmente decidiram despejado da casa onde arrendava,
Por eu ser o um dos amigos mais próximos ele veio desesperado ao pé de mim me pedir abrigo,

Pois, dinheiro para uma nova renda no momento é o que ele não tinha
Acho que a partir dai começou o meu azar, mas não me dei em conta só queria fazer algo piedoso para aquele amigo meu que também me ajudava nos meus momentos de aflição

Dei-lhe o teto, e assim passamos a dividi-lo
Eu é que pagava a renda, o rancho ate lhe emprestava algum quando tivesse.
O ano foi passando e mais amigos nos tornávamos
Na rua sem mim não andava, todos falavam e ate alguns
Invejavam a perfeita amizade que tínhamos,

Nos dávamos tão bem que ate o estilo de música que eu odiava passei a adorar e ele vice versa

O tempo foi acabando e chegamos ao fim de ano,
Ambos graduamos e voltamos juntos da nossa família
Perdi seu numero e ele o meu, ficamos sem nos falar por muito tempo.

Nesta luta diária contra o tempo actual lhe encontrei
Ele não acreditou, só não nos abraçamos e choramos porque estávamos em publico,
Em cinco minutos recordamos os velhos tempos e trocamos números.

Um, dois anos passaram, voltei a perder o numero dele e ele o meu, durante esse tempo foi um amigo ideal na qual eu me cabava por contar em frente dos meus novos amigos
Eu tinha esperança que um dia iria lhe encontrar e actualizarmos o tempo perdido com o papo longo e gargalhante.

Decidi então mudar de cidade, já na nova cidade lá fui eu estudar
Um ano depois, por ironia do destino adivinhem quem eu encontro na rua numa noite calma!
Sim ele mesmo…

Olhámos-nos mas não acreditamos, ele veio ao meu encontro e ao mesmo tempo dissemos em uníssono:
Não acredito, é você? Não é possível!

Actualizando o papo me contou que vivia bem próximo de mim,
Combinamos de nos ver dia seguinte pois era tarde e o tempo já não permitia,
Feliz para casa voltei.

De tanto papo não perguntou ele nem eu onde ficava a casa do outro, nem o número de telefone mais uma vez trocamos.
Três dias depois ele num carro com uma garota,
Me passa e não me cumprimenta,
Aahh, só me pode não ter visto, sempre com mulheres meu amigo mulherengo, ASSIM PENSEI

PELA SEGUNDA VES NOS CRUZAMOS ELE FEZ QUESATAO DE parar e pedir meu número
Confiante que ia ligar não ligou, e nenhum sinal deu,
Da outra vez que nos cruzamos estava ele com uma cara amarada, e eu estava com minha namorada, não deu para perguntar e nem falar muito, mais senti que no meu amigo felicidade é o que lhe faltava,

No outro dia, passou com o seu carro sempre acompanhado
E simplesmente buzinou para que eu lhe desse espaço para passar
Pois por eu ver carro dele parei na estrada pensando que daquele velho amigo se tratasse.
Dois dias depois, por não ter gostado da sua atitude lhe vi vindo na minha direcção e não o cumprimentei achando que ele faria, e me daria alguma satisfação como fazíamos nos velhos temos
E nada, passou, como se de mim não tivesse visto.

Foi um choque terrível, passei a estranha-lo nunca antes tinha visto uma atitude tão baixa do meu velho imaginário perfeito amigo
Parecia que ele se esqueceu dos bons tempos e tudo que passamos naquele teto fora de casa.

Liguei para o número dele que da ultima vez me terá dado chamou ate a linha caiu, não me atendeu.

Sem saber porque nem como me contentei com a triste realidade
Mas no fundo me perguntava porque o comportamento dele hoje assim?
Vocês têm alguma ideia? Se sim me ajudem amigos
Pois o melhor amigo que um dia tive, hoje é um dos piores que tenho.

By Mário langa

Mais Visualizadas

Funções da Filosofia

O povo sena (do centro de Mocambique)

Praticas etnograficas de Mocambique colonial e pos-colonial